Epagri busca IG para erva-mate

Está entrando em fase final o processo para obtenção da Indicação Geográfica (IG) da erva-mate do Planalto Norte Catarinense. A Indicação Geográfica é uma forma de valorização do produto de uma região ou território, cuja procedência adquiriu notoriedade em decorrência do modo de fazer, das características ambientais locais e outros fatores. O champanhe é um exemplo clássico de IG.

A obtenção de uma IG requer uma série de estudos, que compõem um dossiê. Esse documento é avaliado pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), que decide pela concessão ou não da indicação. Até o final deste ano o dossiê da erva-mate do Planalto Norte deve estar pronto para ser encaminhado ao órgão federal.

A erva-mate do Planalto Norte catarinense se diferencia principalmente pelo seu sistema de produção. Naquela região, a planta é cultivada historicamente em meio à floresta de araucária, de forma harmônica, sem desmatamento. Esse sistema de cultivo, aliado às características de solo e clima da região, conferem ao produto como no Uruguai, onde ele é amplamente comercializado.

Os trabalhos de obtenção da IG iniciaram em 2013, sob a coordenação de Gilberto Neppel, extensionista rural da Gerência Regional da Epagri em Canoinhas. O financiamento é do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Coube à Epagri fortalecer a Associação de produtores locais, com adequação do estatuto e outras providências, já que será esta a instituição que vai submeter a proposta ao INPI e, após a concessão da IG, definir quais produtos se adequam às características exigidas para uso do selo. Também está sendo feito por um profissional local o levantamento histórico/cultural da erva-mate na região, documento que vai compor o dossiê.

O Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia da Epagri (Ciram) está finalizando a caracterização ambiental. Esse é um dos principais documentos que vão compor o dossiê, pois aponta a delimitação geográfica e as características de solo e de clima que são determinantes na singularidade da qualidade do produto.

No dia 9 de março a cadeia produtiva de erva-mate do Planalto Norte catarinense se reuniu na Epagri em Canoinhas para dar continuidade ao trabalho e discutir os próximos passos. Já ficou marcada uma nova reunião, para o dia 27 de abril. Em outubro a Epagri pretende realizar um seminário, que vai apresentar os estudos que vão compor o dossiê.

Quando concedida, a IG da erva-mate do Planalto Norte Catarinense vai beneficiar mais de 2 mil produtores, distribuídos por 17 municípios, entre eles Campo Alegre, Canoinhas, Mafra, Porto União, Itaiópolis e Irineópolis. A produção de erva-mate tem um papel importante de complementação de renda nas comunidades rurais locais e a concessão vai alavancar a comercialização do produto. Os maiores beneficiados serão os agricultores e ervateiros, que terão sua cultura valorizada, mas também ganha a sociedade de forma geral, pelos benefícios econômicos, sociais e ambientais que a IG propicia.

Fonte: Epagri

COMPARTILHAR